quinta-feira, 30 de outubro de 2008

RECEBI UMA GRANDE AULA DE CIDADANIA

Ao me lembrar da oficina de formação de educadores de que participei na penúltima semana de outubro, rememoro líricas palavras de Beatriz Nascimento ditas no belíssimo documentário "Orí" (aliás, ainda não dou conta de falar desse filme, mas sei que precisarei escrever sobre ele aqui. Por enquanto estou tomada pelo sentimento de mundo, ao rememorar a todo instante cenas poéticas e combativas, o corpo negro todo ali presente e uma linda voz feminina vociferando mansa, em toda sua plenitude. Mas esse assunto ficará para outra postagem).

Voltando à atividade no RJ e às palavras de Bia: "vai ser um drama pra gente neste século agora, estão dizendo que a Terra pode ser ameaçada, deixar de existir. Há mil correntes que estão pensando, preocupadas, muita gente cuidando daqui. É justamente essa dimensão, a dimensão de que você é um instrumento, você é um instrumento dentro do universo."

Somos, de fato, instrumentos dentro desse universo que conhecemos tão pouco. Por isso, tenho certeza de que não fui parar à toa na Fundação Darcy Ribeiro para trabalhar com educação popular. Tudo fez sentido à medida que fui entendendo onde estava, quem eram meus pares e quais seriam os meus papéis ali, como educadora, cidadã e carioca da gema entristecida pelo canto rascante que há duas décadas , pelo menos, vem ecoando em minha cidade.

Em exatas 24 horas preparei uma ida ao RJ para fazer uma semana de capacitação para um programa de Segurança Pública que busca trabalhar a violência urbana não através do controle pela força repressiva, mas a partir da transformação pela cidadania. No primeiro dia, ao escutar mulheres e homens contarem um pouco de suas riquíssimas trajetórias de vida conjugadas a um sincero engajamento político, vi logo que o presente que tinha recebido era bem maior do que imaginara. A convivência de 4 dias com Daniels, Jailtons, Marícias, Susis, Edmares, Eusélias, Cíntias, Niltons, entre tantas outras e outros, me mostrou mais uma vez, só que de maneira intensa e terna, o quanto estratégias de resistência e libertação são criadas no interior mesmo dos sofredores e marginalizados do mundo.

Assim, constatei logo que ali não tinha muito a ensinar - até porque nem acredito no sentido corrente desse verbo. O conhecimento, a meu ver, é construído coletivamente num ato de profunda comunhão emocional, intelectual e cósmica que muito ultrapassa os limites de uma mera transmissão de ensinamentos ou frases feitas. Ali estava, portanto, disposta a compartilhar um pouco da minha experiência profissional e a escutar, escutar muito... Belas histórias de superação e alegria, uma alegria carregada de potência transformadora. Por isso agradeço não só à guerreira Rita Andréa, mas a todos os profissionais comprometidos com esse importantíssimo programa que se inicia. Agradeço principalmente aos educadores de tantas profissões diferentes que dividiram seus dias comigo e com Rita, debatendo, refletindo, se emocionando, brigando e rindo, rindo muito. Nosso riso ali não era gratuito, era sim um riso de combate esperançoso e de entusiasmo, um riso de seres humanos que sabem ser instrumentos num universo de várias cores, tons e vozes.

O vídeo totalmente caseiro que aparece aqui vem com a emoção do momento. Inclusive a lente balança quando a autora deste blog bate palmas entusiasmada. Trata-se do pedaço final de um coro preparado coletivamente e regido pelo excelente músico-educador Edmar Guiã. Esse coro polifônico de diferentes cantigas de roda diz muito sobre o campo das possibilidades. As falas dos participantes após o coro indicam o quanto nosso encontro foi radical, no sentido mesmo de ir às origens; descer, descer e voltar diferente, nova, transformada.

Vida longa ao PRONASCI!!! Que não seja mais uma política pública interessante, porém abruptamente interrompida!

video

2 comentários:

claudinha disse...

Poxa! Sem comentários Fabi...ficou muito legal.Pode ter a certeza que foi muito gratificante aqueles dias de capacitação na Pronasci,apesar de eu ser calada mas observo muito as pessoas,e sei que vc é uma guerreira que luta para conquistar seus ideais.Um grande bj

Lilithy disse...

Olá!
Nem preciso falar que ficou muito legal o texto e retrata um pouco daqueles dias magníficos que passamos em Santa Teresa, nos conhecendo e conhecendo mais atentamente a realidade do nosso Brasil, mais especificamente do nosso estado, o Rio de Janeiro.
Tenho convicção de que o PRONASCI dará certo e muios cidadãos serão beneficiados com este PROGRAMA, pois sai desta "GRANDE AULA DE CIDADANIA" com a certeza de que ainda há ESPERANÇA. Vamos rumo ao ÊXITO! Beijos Fabi