sexta-feira, 30 de abril de 2010

Menina manhosa, menina medrosa


Não é que me assusto com tudo! Tenho medo de barata, de escuro, de gente me olhando, de gente que não me olha no olho. Tenho medo de falar (principalmente inglês), tenho medo de ficar calada. Tenho medo de ir e também de ficar parada. Tenho medo de homem bonito, tenho medo de homem inteligente. Tenho medo de me apaixonar, tenho medo de me desapaixonar de uma paixão já gasta. Quero a barra da saia da minha mãe pra me esconder!

Tanto medo assim, fez uma amiga, numa madrugada insone, lembrar que eu, na certa, precisaria de umas palmadas como a menina manhosa de Cecília. Dispenso as palmadas e fico com o lindo poema brincalhão de Meireles! Através dele, retomo uma infância indecisa no "Ou Isto ou Aquilo", que já prenunciava as complicadas escolhas por vir de uma menininha manhosa e assustadinha.

Uma palmada bem dada

É a menina manhosa
que não gosta da rosa,
que não quer a borboleta
porque é amarela e preta,
que não quer maçã nem pêra
porque tem gosto de cera,
que não toma leite,
porque lhe parece azeite,
que mingau não toma,
porque é mesmo goma,
que não almoça nem janta
porque cansa a garganta,
que tem medo do gato,
e também do rato,
e também do cão
e também do ladrão,
que não calça meia
porque dentro tem areia,
que não toma banho frio
porque sente arrepio,
que não toma banho quente
porque calor sente,
que a unha não corta,
porque sempre fica torta,
que não escova os dentes,
porque ficam dormentes,
que não quer dormir cedo,
porque sente imenso medo;
que também tarde não dorme,
porque sente um medo enorme,
que não quer festa nem beijo
nem doce nem queijo...
Ó menina levada,
Quer uma palmada?
Uma palmada bem dada
Para quem não quer nada!

4 comentários:

GIL ROSZA disse...

hahahaha. esse poema eu tinha num livro do colégio. ele me lembra um velho hit da furacão 2000:

"Dói, um tapinha não dói
Um tapinha não dói
Um tapinha não dói
Só um tapinha
Dói, um tapinha não dói".

pode?

:: Soul Sista :: disse...

Não é que lembra, Gil? rsrsrsrsrsrsrsrs
Falou e disse!

Simone Ricco disse...

Ai, ai, Fabi,

A gente cresce
De mimo carece
Então
Mais que meninas
Chegamos na etapa
de querer
mais rosas e borboletas
E vem a vida
Dando somente tapa...

Camilla Aloyá disse...

não sinta, ou melhor sinta, é esse medo que ainda te impede de cometer sandices... rsrs!