sexta-feira, 16 de abril de 2010

Um nega MACnada, eu?


Contar sobre a minha nova aquisiçao pode ser um bom momento de falar, para os que ainda nao sabem, que ha quase dois meses estou nos EUA, a terra amada e odiada por tantos brasileiros diferentes. Passo alguns meses estudando e conhecendo um pouco melhor essa estranha cultura. Aproveito tambem para mandar noticias a amigos e familiares que querem saber um pouco o que tenho passado aqui. O texto ficou enoooooormeeee, mas os detalhes sao essenciais, voces vao entender. Quem tiver tempo e folego para ler ate o final, aventure-se!

Estrangeira que sou, sinto-me confortavel em nao ser daqui. Pra mim, ser estrangeira e, de alguma forma, olhar tudo com olhos de novo. Isso nao deixa de ser, apesar dos perrengues cotidianos, um certo privilegio. Nao estar numa posicao confortavel com a lingua me coloca ainda mais na esquina disso tudo aqui. Olhar de esguelha, no canto da rua e uma paranoia delirante que definitivamente me atrai.

Interessante que aqui estou vivenciando o que so sabia teoricamente: por que tantas teorias linguisticas importantes sao norte-americanas, sobretudo as relacionadas a variaçao linguistica. Para o americano mesmo, qualquer “ accent” e motivo de discriminaçao, digo separaçao em diferentes grupos mesmo. Cada um na sua e todo mundo vai vivendo seu mundinho limitado. Mais ou menos assim. Nem falo pelo meu ingles tatibitati, mas vejo alguns amigos com um certo sofrimento por ficarem relegados ao mundo dos estrangeiros na vida cotidiana, porque nao falam o ingles norte-americano. Mas qual e esse ingles? Ainda nao sei. Vejo tantos nos diferentes lugares onde vou. Agora, que ha um Standard English, dos que foram “bem” criados aqui, isso e fato.

A minha nova aquisiçao tem inclusive tudo a ver com esse “American way”. Comprei um computador americano demais. Inclusive a falta de acentos nesse texto, tem a ver com um sistema que nao da a minima para as outras linguas que existem no mundo. O teclado e igual a qualquer outro, mas saber como usar um mero acento agudo ou um til e tarefa so para Mr Mac, meu amigo cujo nome prefiro preservar, mas que muito antes da tragedia que me aconteceu ha duas semanas atras, ja mandava eu trocar minha lata velha por um computador mais estavel, e mole?

O cedilha eu aprendi depois de algumas tentativas, mesmo assim ele vem acompanhado de uma letra estranha que eu preciso deletar sempre. Vou mostrar pra voces: quando escrevo “caçador”, aperto simultaneamente tres teclas, mas quando aperto, a palavra vem acompanhada de um caractere estranho que eu preciso apagar para palavra fazer sentido pra gente. Deem uma olhada: “caçædor”. Digam se e possivel eu deixar esse estranho “a” com “e” assim bem juntinho? Se alguem souber o nome desse caractere, pode me dizer, porque nao faço a minima ideia.

Entao, ha duas semanas estava eu feliz trocando informaçoes familiares confidenciais com minha irmazinha Adri, quando deu um apagao no meu computador. Confesso que isso ja tinha acontecido antes, mas sempre conseguia religa-lo. Dessa vez nao. Apagou geral. Pensei: po, dessa vez o virus me pegou mesmo.

Levei meu amado HP pretinho comprado ha exatos 2 anos atras aqui nesta mesma terra a uma pequena loja perto da minha casa que sempre via quando ia para o ponto de onibus. Tinha uma placa na porta, “Yes, We are open”, mas estava tudo fechado. Conversei com a dona da loja ao lado, que acabou ligando para Juan e falando num espanhol bem afetivo que tinha uma linda brasileira (palavras dela, gente!rs) com um computador quebrado. Juan falou comigo e disse que so ia abrir a loja as duas horas da tarde. Como tinha que ir a universidade, marquei com ele no final da noite.

As 20:30 em ponto, estava eu de volta a loja de Juan. Como so vi desktops, perguntei: “voce conserta laptop?” Ele, respondeu bem alto com uma certa impaciencia: “OF COURSE!” “Entao, Sr. Juan, meu computador apagou. Acho que e virus, porque isso tem acontecido desde que comecei a usar a rede aberta da universidade.” Ele começou a desmontar o computador todo, passar um aspirador dentro, trocar peças. E eu quase pegando de volta meu pretinho, com medo de nunca mais ve-lo como ele sempre foi. Mas como sempre diz uma grande amiga: nao adianta ter medo, nao adianta ter medo, o que tem que ser e.


Tai o pretinho que morreu!


Sr. Juan, depois de muito testar, disse que o problema nao era virus nada, mas a minha “mother board” que tinha pifado. Me pediu dois dias pra confirmar e me dizer o valor do conserto. Achei justo, mas fiquei meio chocada pelo problema ser tao serio. Gente, achava meu computador novo. Dois anos de uso so. Sai da loja assim tao tristinha, que liguei para Mr. Mac pra ver se ele me dava uma força, depois de eu ter perdido de maneira tao tragica meu pretinho basico. Mr. Mac, ironico como sempre: “eu falei, nega, eu falei... Seu computador tava na capinha.” O que me restava entao? Ir pra cama chorar baixinho.

Exatos dois dias depois, Juan liga dando o diagnostico completo: precisaria mesmo trocar a placa mae e o conserto ficaria em 275 dolares. So que ele ia demorar 8 dias pra me devolver o computador. Fiquei literalmente louca, pedi pressa. Ele disse que ia se esforçar, que assim que tivesse com a peça na mao me telefonaria. Dois dias depois ele ligou mesmo, com voz de preocupaçao, pedindo que eu fosse urgentemente a loja.

Chegando la, o cenario estava armado. Sr. Juan, coitado, nao sabia o que e lidar com uma mulher brasileira, diriamos assim, nervosinha. Em cima do balcao estava o meu computador e uma placa mae enrolada num plastico aberto em cima dele. Sr. Juan: “aqui esta a mother board que eu pedi. Eles enviaram errado, ta vendo? E da marca Intel e a sua e AMD.” “E agora Sr. Juan? A troca vai demorar muito?” “Infelizmente, a placa AMD esta em falta. Nao tem previsao, mas eu posso resolver o seu problema: tenho aqui computadores muito melhores que o seu. Voce escolhe, compra um e eu passo todos os seus dados para o computador novo. Venha ver.” Vi, a principio fiquei ate interessada em um deles. Mas foi quando percebi o trambique. Sr Juan falou feliz: “ele custa 400 dolares.” “ Nao Sr. Juan, nao. O senhor nao esta entendendo a minha situaçao. Vou levar o meu computador entao.” Ao abrir meu computador, tudo piorou muito, porque ele estava todo arranhado, com os selos arrancados. Nossa, me desesperei e pela primeira vez dei uma bronca em alguem com meu ingles tatibitati mesmo. Exigi a devoluçao sem os arranhoes, porque nao entreguei o computador assim. Sr. Juan exaltado, misturando ingles com castelhano, a dizer que os arranhoes eram normais, porque ele precisou abrir o computador. E eu gritando: “mas pra abrir um computador nao e preciso arranhar desse jeito e tirar os selos. So lembro que dizia: “I am studying here. I am not kidding” E Juan rebatia: “And am I kidding?” “I don't know, Mr. Juan, I don't know.”

Depois de alguma discussao, ele falou pra eu sentar e esperar que ele ia me entregar o computador sem nenhum arranhao. Deve ter trocado a carcaça do meu pretinho por outras acumuladas naquela "tiendita", sei la. So sei que voltei pra casa abracada a ele, assim protegendo-o do mal ja feito.

No dia seguinte, levei-o no “computer care service” da universidade. La o rapaz foi dizendo bem tranquilamente, sem o tom exaltado do crapula do Sr. Juan: “o seu computador morreu. Isso e muito comum de acontecer com esta linha. Nao vale a pena consertar porque o conserto vai ser caro e ele vai ter uma vida curta. Mas voce comprando outro, eu coloco seus arquivos num novo “hard disk” e voce tera acesso a todos eles.” Na hora lembrei do meu limite do cartao de credito e fui logo perguntando: “se for um MacBook, tambem ficarao disponiveis?” “Sim, sim.” Bingo, a profecia de Mr. Mac estava se realizando.

Fui pesquisar o que eram os MacBooks, porque, na verdade, nunca soube direito a diferenca entre um e outro. Nem nunca soube quantos modelos ao certo existiam. Enfim, sempre achei lindo aquele computador com uma maça assim bem no meio, mas nunca levei muito a serio essa superioridade toda dele nao. A linha de laptops e bem pequena, nao falo dos novissimos Ipads, porque nem faco ideia do que seja aquela inovaçao toda. E tambem gosto de teclas. Aquela tela inteira que faz tudo me da assim uma especie de afliçao. So ha, na verdade, 3 modelos de laptops: o MacBook (o mais barato da linha, mas nao se iludam, e caro) o MacBook air (o computador mais fino do mundo, pra que isso, gente, pra que?) e o MacBookPro (em tres versoes de tela, a menorzinha delas, de 13” e 200 dolares mais cara que o MacBook e, segundo Mr. Mac e todos os vendedores com quem conversei, e infinitamente melhor). Inclusive, Mr. Mac, nao sei se se sentindo meio culpado ainda disse: “nega, para o seu uso, o MacBook serve. Nao precisa ser o Pro.” Nao, Mr Mac, nao, nao. Se e pra ter esse treco que seja o Pro do mais baratinho. O que e uma... pra quem ja esta... ne nao? O cartao de credito ta ai pra ter sua fatura dividida mesmo!

Mas minha saga nao tinha acabado nao. Esta semana mesmo lançaram um Pro de 13'' novo, com 2GB a mais de memoria, pelo mesmo valor do antigo. Resolvi comprar, mas para isso teria que esperar uma semana mais ou comprar pela internet, segundo o vendedor da Macstore. Achei esquisita aquela historia de esperar uma semana ja que ali era uma loja oficial da MAC. De qualquer forma, estava decidida a esperar, porque comprar pela internet aqui com cartao de credito brasileiro tem sido uma dor de cabeça, ja que o endereço da fatura e diferente do endereço onde estou morando. O mundo e todo informatizado, mas nenhuma loja virtual se da conta de que a gente nao precisa mais da conta em papel para pagar fatura nenhuma.

Enfim, o fato e que pra esperar eu resolvi aprender um pouco mais sobre esse estranho mundo que estava prestes a entrar, seguindo mais uma vez os conselhos do profeta Mr. Mac: “nega, e melhor voce comprar um livrinho pra aprender a mexer no seu Mac – chama-se Mac for Dummies” (algo como, Mac para idiotas). Que tal? Tudo bem, Mr. Mac, tudo bem... Na livraria vi que ha infinitas formas de ser dummy ao usar um Mac. Resolvi, na medida do meu bolso e necessidade, comprar o Switching to a Mac for Dummies (Mudando para um Mac para idiotas).


Logo no primeiro capitulo o autor desfaz alguns mitos relacionados aos misterios dessa marca para o usuario que esta migrando de um PC para um MAC e conta um pouco da historia da empresa. Comecei a gostar e a entender a grande disputa entre Microsoft e Macintosh. Para alem da questao do lucro, em determinado momento, a historia de ambas as empresas se entrelaçam e foi a partir de um contrato com a Macintosh que Mr. Bill Gates estourou as vendas do Windows 3.0 na decada de 80. Ele usou uma versao simplificada de uma interface grafica que a Microsoft havia criado para a Macintosh. O contrato dizia que a Microsoft estava autorizada a vender a tal interface simplificada. Steve Jobs, a cabeça pensante da Mac nao gostou nem um pouco da jogada de Gates. Ambas as empresas foram parar nos tribunais, mas Gates levou a melhor, porque, segundo o juiz, ele nao descumpriu as clausulas do contrato.

No meio dessa guerrilha de milhoes e milhoes de dolares nos, meros usuarios tupiniquins, ficamos entre um milionario e outro. Antes, eu era uma PCer, agora sou uma MacBooker. O que isso signfica? So o tempo dira...

Ah, ja ia esquecendo de contar o desfecho disso tudo: empolgada com o livrinho, querendo ter logo em maos minha maravilhosa aquisiçao, liguei dois dias depois para a MacStore aqui do Providence Place Mall, perguntando se ja havia chegado o novo modelo do MacBookPro 13”. Sim, havia chegado. Fui na hora la e sai feliz da loja com meu Pro novissimo da Silva. E um Pro abrasileirado, que Steve Jobs nao me ouça. Alias, tomara que ele ouça sim e desenvolva logo uma forma mais tranquila de usar os acentos nisso aqui. O tal Pro acabou sendo o presente de aniversario que me dei a ser pago em modicas prestaçoes. Pra quem nao sabe, faço aniversario sabado que vem, dia 24.

E, gente, devo ter sido mesmo contaminada pelo virus MAC nessa terra aqui. Porque abri meu Pro super ansiosa. Vibrei com a animaçao inicial, com a inscriçao no mundo Mac. Para a fotinho inicial usei batom novo e tudo. Tentei resgata-la para colocar aqui pra voces, mas nao consegui nao.

No fim de tudo Mr. Mac, espirituoso que so ele, ainda escreveu numa rede de relacionamentos: Fabiana Lima, uma nega MACnada. Gostei da frase e do neologismo criado por ele, porque a palavra tem esse nada no final, que acaba por desfazer toda essa empolgaçao por uma mera maquina. Nao, mae, nao, pai, eu nao enlouqueci de vez. Nao ha MacBookPro que substitua uma cheiro no cangote, um pe entrelaçado no outro, um cafune... E disso, eu tenho certeza, ate Mr. Mac sabe. Ah, sabe!

Vejam meu Pro com sua case de macaquinhos coloridos para alegrar meus ultimos dias tao cinzentos!

21 comentários:

Marcio Macedo (Kibe) disse...

Puta post longo!!!!!!! Vou perguntar pro "Rapha Hacker Neves" como se instala o convertor de keyboard. Realmente, o mundo dos Macs é pra iluminados, inteirado e "metidos" (no meu caso, um "nego metido"). Ah, esse "Mr. Mac" deve ser um mala sem alça, mas aposto que ele estava pensando mais no termo "maquinado/a" quando escreveu MACnada pra você, já que lá pelas bandas da terra santa de SP isso significa estar armado/a, com um "cano" (gíria pra revolver). Por favor Fabiana Lima, não mate ninguém com o seu Mac!!!

..hahahaha...

GIL ROSZA disse...

mac metida hein? kakakakakaka... it´s a joke!
que seus dias cinzas fiquem coloridos como a case de MacCaquinhos. bejão!

Camilla para os menos íntimos... disse...

Porra Fabi, muito bom entrar no primeiro mundo da tecnologia em contramão vc está certa nada supri nossa necessidade de afeto que de fato uma maquina não trás e nunca trará.
Mas parabéns, como não podemos fugir de todo do universo capitalista essa aquisição é muito boa, temos de nos integrar sempre lembrando que a aquisição é uma pseudo-aquisição, dera se todos nossos irmãos tivessem essa mega oportunidade que vc está tendo, aí sim poderíamos chamar de aquisição-inclusão-integração.

Boa Sorte, continue estudando e se dedicando a aquisição de conhecimentos que é o que mais vale no meio disso tudo, axé da Iansã pra ti.

Simone Ricco disse...

Grandes palavras Mrs,
macaquinhos me mordam rs Gostei de ser apresentada a esse jeito americano de (Mr Mac) ser!

Boas novas por aí!
bjkSi

Wilson disse...

êita!!!

adorei a possibilidade de ingressar nesse mundo dos MAC's... afinal, já posso até citar seu nome em rodinhas de conversa... rs rs rs... minha primeira AMIGA-MAC, vai vendo!!!

bjs,
Wilson

:: Soul Sista :: disse...

Kibe, Mr. Mac e um mala com alça, portanto da pra carregar, ta? Quanto a matar com meu Mac? Sem chance... rsrsrsrsrsrsrs

Gil, sera que vou ficar mais metida do que ja sou? Agora, MacCaquinho e muuuuito booom! rsrsrsrsrs

Camilla, axe proce tambem!

Si, vc nao tem noçao do que Mr. Mac apronta! rsrsrsrsrsrsrsrs

Wilson, pode espalhar, pode espalhar! rsrsrsrs

Obrigada pelos comentarios. Forte abraço em tod@s!

Katia Costa-Santos disse...

Fabi, o macpro é o meu sonho de consumo desde que eu descobri o mac, qdo eu procurava emprego fixo em uiversidades aí eu só pensava na hora de "ganhar" um big mac, caso eu fosse efetivada... a coisa do trabalho passou, mas a sede de macpro ficou... Loira tem um "de verdade" com o qual ja ate sonhei :)))

Bem, enquanto vc vai se familiarizando, envio aqui o link pra o site da minha antiga universidade, e neste link, no final da pagina, tem uma tabelinha pra acentos no mac, bem maneiro, sempre o recomendei para os computer-guys dos dptos por ondem passei por ai.
Aki esta: http://www.rom.uga.edu/topics/accents.html
Bjs e continue se divertindo muito

Katia

Katia Costa-Santos disse...

Ah!
esqueci de dizer: veja muita TV!!
Alias, a tv americana é o que mais vejo aqui no meu mac-caidinho de velho, ultimamente tenho me atualizado em Colbert Report e South Park, e se vc tiver IFC Channel, vc vai ver que, dependendo do seu bairro, este canal pode ser melhor que o cinema. E tem ainda o booktv, seus autores falando de seus livros e da vida -- I miss it soooo much!
+ Bjs

:: Soul Sista :: disse...

Katia, vou seguir todos os seus conselhos de programas e canais, viu?

Cara Cintia, a moderaçao de comentario comeu o seu - rsrsrsrs Isso acontece de vez em quando aqui. Eu autorizo, mas o blogger envia o comentario para algum espaço sideral. Uma pena!

Na medida do possivel, vou contando umas coisinhas aqui sim, ta?

Um grande beijo

*ANDREA CARVALHO STARK* disse...

Agora vc vai responder na sua tese: qual a relação entre um mac e um big mac? O mundo é mac ou é pop? É uma coincidencia na variação linguística?

Vem cá, só podia comprar um mac? Não existe outra marca não? Fabiana, acho q vc se vendeu, que vergonha! Nem eu que sou anglofona teria essa coragem! rs bjk

*ANDREA CARVALHO STARK* disse...

fabi, traga seu pretinho hp pro Brasil, um pessoal q conheço lá da Rua Uruguaiana vai dar um jeito nele, eu prometo! bjo

:: Soul Sista :: disse...

Dea, ele ta guardadinho pra ser levado. Acha que vou desistir rapidamente assim do meu pretinho. Nao nao

Agora que eu me vendi, me vendi mesmo! Me vendi e to agora f... pq eu me vendo e eu que pago... rsrsrsrsrsrs

Bjus

Walfredo disse...

Gordinha, muito bonito e com estilo o texto todo. Acho que você vem se superando a cada escrita, posto que atende a vários estilos, tais como crônica, conto etc.
Tudo é aprendizado e percebo que este Mr. Mac tem algo mais além do meramente racional, quando dá pitacos e faz previsões em sua vida. Como se diz aqui, ultimamente, mete o pé, Gordinha.
Ah! beijos antecipados de aniversário e amanhã envio um email falando sobre comemorações.
Wal, o pai

:: Soul Sista :: disse...

Oi, Pai!

Nossa, acordei disposta a passar um email pra voce, reclamando que nao tinha passado aqui no blog, desde que deixei o recado na sua secretaria eletronica. Pensei: pronto, meu pai esqueceu do meu blog, do meu aniversario e de mim... rsrsrsrsrs

Ja estava redigindo o email, quando resolvi abrir o blog e vi seu lindo recado aqui.

Que bom que gostou do texto, pai! Vamo que vamo! Que venha mais um ano em minha vida. Que venha mais um ano em nossas vidas de pai e filha!

Saudades!

Um grande beijo

Janaína disse...

Ixe, Fabiana... A era mac super moerna vai te lvar de volta ao latim com esse a+e???? Que paradoxo é esse???
Beijocas baianas,
Janaína

MANU PINK disse...

OI ESTAVA HJE FUSSANDO BLOGS PARA SER SEGUIDORA E ENCONTREI O SEU E M IDENTIFIQUEI, PARABENS PELO BLOG, APARECA NO MANUPINK!TEM SELINHO OFICIAL DO MY BLOG PEGA LA PARA VC TB!BJOKAS. ADOREIIIIIIIIII OS MACAQUINHOS!!!!TB QUERUX!RSRS.

:: Soul Sista :: disse...

Obrigada, Manu! Passe aqui quando quiser, as portas estão abertas. Já te sigo, viu? Vou passar lá com calma... Beijos

Preta Guerra disse...

Amei o texto, a malinha então, nóóó, muito linda!
Good luck in USA!!!

Teremos seminário de intelectuais negros com o Lima Barreto, lembrei-me de ti. Foi num desses, Cruz e Sousa que lhe ví pela primeira vez.

Não esqueço de suas mãos...

Anônimo disse...

Just want to say what a great blog you got here!
I've been around for quite a lot of time, but finally decided to show my appreciation of your work!

Thumbs up, and keep it going!

Cheers
Christian, iwspo.net

:: Soul Sista :: disse...

Cara Joanna, sabe que sou sua fã, né? Babo pelos seus textos e sempre saio emocionada do seu blog. Belíssimos textos! Um forte abraço

Hi, Christian! It's a pleasure to see you here. Welcome home! Please, go back whenever you want.

Cheers

Preta Guerra disse...

Reli esse, por que esses "rapazes" eletrônicos dão trabalho...

Obrigada pelo "fã"... Idem.
Seus textos tem a capacidade de dançar em minha mente...

Beijocas!