domingo, 16 de agosto de 2009

Eu presto muita atenção no que meu irmão ouve


Então, chega a ser engraçado como rememorar é o verbo que, com certeza, está sob a minha escrita. Busco subterfúgios num tema ou noutro, mas sempre volto para mim e para os meus. Como amante de palavras, sempre soube, antes só teoricamente, é verdade, da potência libertária das memórias. Mas como nunca tinha coletivizado as minhas próprias, somente desde que criei este espaço aqui vejo o quanto relembrar o passado liberta a gente de nossas sombras ou faz com que a gente reencontre em algum canto de nós uma felicidade guardada. É por isso que hoje, neste misto de homenagem e divulgação, só posso começar pelo que lembro de há muito tempo atrás. Eu, no início da adolescência, meu irmão, com uns 6,7 anos.

Meu maior momento de liberdade em casa era quando todos saíam e eu ficava em casa só, com a sala toda ao meu dispor. Afastava os móveis, colocava no som bem alto "Bat Macumba" de Gil e ensaiava feliz meus passos sinuosos e semi-acrobáticos de dança afro, suadamente aprendidos com Charles Nelson. Ai ai, pulava, pulava e no auge daquela sessão infernal, ainda contava 2,3, 4, 5, 6, 7, 8... dava giros, mexia os ombros, enfim...

Possivelmente, disso não lembro bem mesmo, fazia essas sessões mesmo quando meu irmão se trancava no quarto da minha mãe para ver desenho animado. Só lembro de um dia estar todo mundo no meio da sala, meu irmão pular e ficar fazendo os giros idênticos aos que eu fazia. Tive um misto de raiva e muita vontade de rir, porque aquilo não era pra ninguém ver. Numa dessas de estar trancado no quarto ele deve ter saído, visto aquela cena insandecida e voltado correndo, para não levar uma grande bronca da irmã mais controladora do mundo. A imitação daquele menininho magrelo gerou a gozação geral de todos lá em casa, né?

A vida lá em casa para Felipão nunca foi fácil! Éramos três mulheres geniosas. Às vezes me pergunto: como ele sobreviveu?!?! Mas ta aí, como dizem, bem criado!

A casa barulhenta da gente gerou em meu irmãozinho uma paixão doida por música. O negócio era escutar música alta da boa, tocar piano, teclado, atabaque, o que tivesse em nossa casa de muitos sons. Hoje ele é o que podemos chamar de "garimpador de música boa". Muito boa, por sinal!!!

Se tive minha fase "show caseiro" sem noção, meu irmão também já quase enlouqueceu a casa toda quando resolveu tocar trumpete. Ainda bem, não morava mais lá. Mas sempre que ia pra minha mãe, escutava: pronto, começou! Era um firifim fim infindável! Um belo dia, sem mais nem menos, fiquei sabendo que ele tinha vendido o trumpete. Desistiu de ser Miles Davis! Para a felicidade daquelas mulheres todas!

Mas a paixão pela música tem dado muitos frutos. Meu irmão é mestre em fazer belíssimas seqüências de boa música brasileira contemporânea no FUNK-SE O BRASIL, um dos programas do blog coletivo Rio Groove FM. As swingadas seqüências são resultado de pesquisa musical e muita paixão por todo tipo de música grooveada, funkeada, como queiram! Vale escutar, vale ler os posts e fazer downloads dos álbuns pelos quais se interessem. O blog é todo interessante, porque os outros DJ's também mandam muito bem. Mas, por incrível que pareça, tem mais ouvintes e leitores em países europeus do que aqui no Brasil. Bora conferir, minha gente!

Disponibilizo o programa mais atual, embora o que mais goste seja o de hip hop (pocket 13). Quem quiser, é só clicar em POSTS, dentro do podcast e selecionar o de número 13. Além disso, dá para conferir todos os outros.

E aguardem mais novidades...DJ Gaoners ainda vai trazer muita música boa pra essa doida e maravilhosa coisa que chamamos de mundo virtual, internet, rede, o que quer que seja! Felipão, irmão querido, estamos juntos sempre!!!! É nós...


Subscribe Free Add to my Page

12 comentários:

Marcio Macedo (Kibe) disse...

Querida Bibi,

Massa o programa do seu irmão (virei até seguidor!), mas tenho contras o nome do programa. Bem coisa de carioca que coloca "Rio" em tudo... E mania de paulista de ter problema com isso... hahahahahaha...

Beijos carinhosos,

Márcio/Kibe.

Wilson disse...

É verdade, bonitona, Felipe merece uma estátua em praça pública...

Afinal, aturar estas DUAS sisters não deve ter sido mole não... rs rs rs... pqp!!!

Wilson disse...

Putz, já ia me esquecendo... a música é incrível... bom demais!!!

Lina disse...

Nossa família junta e misturada que nem salpicão. rs rs rs rs rs
É isso aí Fafá. Me lembrei do arremedo do Felipe e ri bastante. Ele era chato mas engraçado, não?
Feliz sobrevivente o Felipe. Música boa a desse menino...

:: Soul Sista :: disse...

Que bom, Kibe, que você gostou. Sobre esses bairrismos, estou fora. Tenho vivido em Salvador mesmo! rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs

Agora, carioca não coloca Rio em tudo, não! Que culpa temos de termos nascido e circulado pela cidade mais bonita e charmosa do Brasil. Diga? Que culpa temos? rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs

Beijos magrinhos (hoje vc os não merece engordurados!rsrsrsrsrsrsrsr)

:: Soul Sista :: disse...

Ele sobreviveu, Wilson! Sobreviveu mesmo - rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs

Beijinhos

Gaoners disse...

Rapaziada,
Que legal tudo isso.
Antes de mais nada, gostaria de dizer que escrever algo nesse blog significa um pouco mais do que mera palavras. Para mim, significa escrever no blog da minha irmã Fafá e da minha família onde cresci e que realmente me fez passar e consequentemente ter determinadas reações há situações que eu não tinha como não estravazar. rsrsrsrsrsrs. Emoção para todos nós lá em casa nunca faltou. Sempre na veia mesmo. Tudo intenso.
Acho que é por isso que lido com música e me alimento cada vez mais dela. Por emoção e paixão. E de qualquer forma, sendo bom ou não, fica exposta a pesquisa, a valorização e o resgate da música popular brasileira. Então por isso, VAMOS DE MÚSICA!

Poxa galera,
Um beijo no coração de todos, do tamanho desta família que aqui é exposta muito realisticamente. Quase sempre me emociono quando leio ou escrevo neste espaço. E a nega aí me cobrando logo um comentário. Irmão é assim mesmo, muitas vezes não entende a emoção do outro. Mas já estou mais calmo e agora consigo terminar essas curtas palavras. Grato.

Anônimo disse...

Passei lá tb, gostei d+!!!Quem diria, heim??!!! Estou seguindo... Sobre o poema q vc comentou no blog , vc não tem a menor ideia da sua autoria obtusa, depois conversamos... bjkas saudades

paulakristina disse...

Nossa eu tb fazia meus shows particulares em casa.Dançava a coreografia do filme flashdance.Uma vez quase quebrei o pé.Meu irmão do meio me pegou pagando aquele micão.Eu achando que era a bailarina,ele não entendeu patativas do que viu rsss.Não tive a mesma sorte que vcs as influencias musicais de meus dois irmãos são bem duvidosas eu sou a mais velha.Um gosta de Rock (até gosto de algumas musicas)o outro mais novo gosta de tudo de ruim no mundo musical.Sei lá ele escuta o que tá na moda(credo).Mas o legal é que toda vez que faço uma seção relembrar é viver rsss, com minhas musicas do fundo do baú o Tiago (irmão)sempre diz:"Vc ainda escuta essas musicas,lembro quando era pequeno vc colocava uma fita e ouvia mil vezes a mesma musica".Ele tem esse referencial e toda vez que escuta a turma da Motawn lembra de mim.Adorei o blog do seu irmão e assim como o seu virei seguidora.
beijos e muita boa musica para todos.

Gil Rosza disse...

nussaaaa... seu irmão só ouve o que ta marcado na minha lista como "duka"... uma hora te conto o porquê. =)

Gil Rosza disse...

nussaaaa... seu irmão só ouve o que ta marcado na minha lista como "duka"... uma hora te conto o porquê. =)

Claudia Fabiana disse...

Fabi me apresentou o programa, o blog do mano e agora sou seguidora total... ando beleza com essa erva musical..rs
Parabéns, Felipe!!! Valeu, Fabi!!!