quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

E EU QUERIA FALAR COM A LUA

Hoje, no fim da tarde, bem daqui de casa mesmo, eu namorei a lua. Ela, bola cheia de luz e sombra, olhando pra mim e eu deslumbrada com aquela beleza de se seguir.

Fiquei meditando... por que exerce tanto poder sobre os humanos e sobre o que naturalmente nos constitui? Seu amor é de doação, é de seguimento, é amor pra sempre, já que nunca se livra do próprio destino de ligar-se a Terra, nossa casa. A Terra, eu sei, também se aproveita bem, seja nos caminhos das águas, suas cheias e vazantes, ou no olhar hipnótico em direção à beleza absoluta da lua. A Terra não pára de olhar pra Lua. Amantes... Inebriadas de si, não se largam nunca.


Aproveitei o namoro e, óbvio, fiz dois pedidos: o primeiro é pra que se expanda, de
fato, a alegria na Terra; o segundo eu não conto, é secreto. Só digo que foi um pedido de amor, de calor, de silêncio e mar, de estranha dor.

Hoje bem ao anoitecer, naquele horário em que sinto um aperto tênue no coração, misto de melancolia e transbordamento de amor, eu namorei a lua. Ela, tava toda toda... E disse sim. Dindinha nossa, garantiu certeza na realização de um dos dois desejos...


"E eu queria falar da lua
Mas não sou silenciosa e plena de luz
Como só ela sabe ser"
Beatriz Nascimento

3 comentários:

Sueli Borges disse...

Soulsista Fá,

Que surpresa, acabei de postar algo sobre a lua e, em seguida,dando um giro no blog dos amigos, vi que voce também foi captada pelo cheio da lua.
Que seus pedidos sejam realizados, todos eles!
Bjs, amiga.

Andrea Carvalho Stark disse...

e tem feito mesmo luas lindas... bj deia

Ana Claudia disse...

Um beijinho, Fabi enluarada, lunática e lúcida.

Ana Claudia